Contar com o diagnóstico correto e encontrar formas de conviver com o problema são ações essenciais ao lidar com a fibromialgia

você sabe o que é Fibromialgia?

Ela ocorre quando o sistema nervoso central passa a ter dificuldades para controlar a sensação de dor. O seu principal efeito é o aumento na intensidade de dor muscular ao realizar atividades normais do dia a dia.

A fibromialgia é uma doença reumatológica, mas ao contrário da maioria das patologias desta área, ela não é autoimune ou inflamatória. Ela não tem cura, já que é um quadro crônico.

O objetivo do tratamento é reduzir os sintomas a um nível que não atrapalhe o cotidiano do indivíduo.

Na maioria das vezes, os exames laboratoriais e de imagem são todos normais, não indicando a fibromialgia. Assim, o reumatologista deve sempre afastar outras possibilidades que possam parecer com a doença para fazer o diagnóstico correto.

os sintomas

Esses são alguns dos possíveis sintomas associados a fibromialgia. Eles nem sempre ocorrem juntos, portanto, é sempre importante buscar o aconselhamento de um profissional médico:

Além destes sintomas, outras manifestações também podem ocorrer: insônia, dor pélvica crônica, síndrome do cólon irritável, enxaqueca, formigamento e palpitações.

O diagnóstico

É necessário buscar orientação médica para diagnosticá-la adequadamente. Não existem exames capazes de detectar a fibromialgia, então o diagnóstico depende da experiência clínica do médico.

No exame da paciente, o médico pode observar a sensibilidade aumentada em determinados pontos, algo que pode ajudar imensamente no diagnóstico da doença. Para contar com os critérios certos nessa avaliação, a comunidade médica costuma se basear nas diretrizes do Colégio Americano de Reumatologia.

Também são empregados questionários padronizados que ajudam no diagnóstico:

o tratamento da fibromialgia

Como a fibromialgia não possui cura, o caminho para tratá-la consiste em administrar melhor os sintomas e assim ajudar a paciente a conviver com o mínimo impacto em sua vida.

O objetivo do tratamento é o aprimoramento da qualidade de vida e do estado funcional.

Exercício Físico

  • É aponto essencial do tratamento
  • Único meio que pode aproximar a paciente de uma vida normal com a doença e deve ser realizados todos os dias;
  • É recomendado intercalar os exercícios aeróbicos com caminhadas, natação e corrida;
  • Benefícios podem demorar até 1 ano para aparecer. Então é importante começar o mais cedo possível.

Qualidade Do Sono

  • Não significa dormir mais, e sim melhor;
  • O objetivo é acordar mais descansada do que quando foi dormir;
  • O médico deverá receitar medicamentos específicos para cada caso.

Lidando com dor

  • Não existe um analgésico que tire toda a dor, mas é um tipo de medicamento que vai ajudar mesmo assim;
  • A redução da dor é o caminho para o início da atividade física, que trará mais benefícios para o tratamento;
  • Em geral, o tratamento é iniciado com analgésicos leves e, caso necessário, há a transição para os mais fortes;
  • É importante identificar pontos de dor mais intensa na musculatura

controle da depressão e/ou ansiedade

  • É possível prescrever ansiolíticos ou antidepressivos para quem sofre de fibromialgia;
  • Em casos mais graves, quando necessário o médico pode encaminhar a paciente a um psiquiatra.
Doutor, como ter uma vida normal com fibromialgia?
Dr. Roberto Ezequiel Heymann
“A melhor forma de manter uma vida normal é enfrenta-la de forma positiva: auxilie o seu tratamento, cuide de sua higiene, do sono, tome os medicamentos de forma correta e pratique regularmente alguma atividade física.”

Dr. Roberto Ezequiel Heymann

Doutor, existe alguma restrição de atividade para quem convive com a fibromialgia?
Dr. Ari Stiel Radu Halpern
“A prática regular de exercícios é muito importante no acompanhamento da doença. Nestes casos é melhor realizar atividades de baixo impacto, como hidroginástica, caminhadas, entre outros. O mais importante é a regularidade da prática de atividades físicas”.

Dr. Ari Stiel Radu Halpern

Os impactos na menstruação

Você sabia que o ciclo menstrual é capaz de piorar em até 72% os sintomas de fibromialgia? A pesquisa é do Journal of Psychosomatic Research, que analisou 125 mulheres com idades entre 21 e 45 anos.

Por mais que os sinais da doença possam variar, há grande chance de se agravarem durante o ciclo menstrual. Uma das explicações está no aumento dos hormônios, especialmente estrógeno e progesterona.

Dois dos principais impactos que a fibromialgia tem sobre

Como aliviar a dor durante o ciclo menstrual?

Fonte dos dados:
Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR)
Pesquisa da Journal of Psychosomatic Research:
http://www.jpsychores.com/article/S0022-3999(04)00484-2/abstract