Durante a fecundação, milhões de espermatozoides são depositados no fundo da vagina, entram através do colo do útero e percorrem um caminho até as trompas em busca do óvulo. Muitos morrem nesse percurso, mas os que sobrevivem são atraídos por sua cobertura e se aderem a ele – tentando fecundá-lo. Nessa corrida, um deles é campeão e consegue penetrar no óvulo, que logo em seguida tem uma reação que evita a entrada de outros espermatozoides.

Na semana seguinte a fertilização, o óvulo fecundado avança até o útero, ele se chama blastocisto e é menor que a cabeça de um alfinete. As células de dentro do blastocisto darão origem ao bebê. Já as de fora formarão a bolsa amniótica e a placenta. O blastocisto perde a camada protetora e se implanta na parede do útero (fase chamada de nidação).

Nesse momento você já está grávida e o ovo formado pelo espermatozoide e o óvulo inicia um processo de divisão celular, até chegar ao útero.

Apenas oito dias, em média, após a fecundação, o teste de gravidez acusa positivo. E como ocorre durante a ovulação, ou seja, duas semanas depois do início da última menstruação, o teste será positivo após 3 semanas e meia após o primeiro dia da última menstruação.

O ovo ao se dividir é chamado de mórula e com apenas duas semanas tem mais de 250 células. Neste momento ele inicia sua implantação no endométrio, a parede interna do útero.

Nesse período, ainda não há estrutura anatômica embrionária formada. O bebê ainda é um conjunto de células agrupadas, chamado embrioblasto.

Os sintomas da gravidez são bastante variáveis e mudam de acordo com as características pessoais de cada mulher, mas os que figuram entre os principais sintomas são: náusea, sonolência, constipação e salivação excessiva.

Curiosidades da Gestação

Desenvolvimento do bebê semana a semana

O Dr. Romulo Negrini, coordenador médico–materno infantil do Einstein, explica que “contar” o desenvolvimento fetal por semanas é uma questão de “precisão”. Um mês pode vatriar em dias de 28 a 31, mas uma semana tem sempre 7 dias. Uma gravidez também dura em média 40 semanas, podendo chegar a 41 semanas.

4 semanas

Na 4ª semana o bebê é menor que um grão de arroz, mede aproximadamente 2 mm e já é um embrião com três fragmentos diferentes. São eles que irão formar tecidos e órgãos.

5 semanas

Na 5ª semana, o bebê tem o tamanho de uma pequenina semente, as células do interior do blastocisto ainda estão começando a se organizar e o corpo do bebê começa a se desenvolver. A pele ainda é transparente, sendo possível ver a formação daqueles que serão os primeiros órgãos. Nesse momento, o bebê tem cerca de 1,27 a 2,54 mm.

O primeiro órgão a surgir é o tubo neural, que depois formará a medula espinhal e o cérebro do bebê. Uma outra parte, mais ao centro, se transformará em coração. É também neste período que começa o desenvolvimento dos aparelhos digestivo e respiratório. Há um importante crescimento do cérebro, depois surgem tecidos que se transformarão em braços e pernas. A cabeça já está formada e é possível distinguir o que serão orelhas, fossas nasais, olhos, ouvidos e o orifício que será a boca.

Agora já é possível observar bem o cérebro e a medula espinhal. Nessa fase o sistema circulatório do bebê começa a formar e o coração bate pela primeira vez, dedos começam a surgir, braços e pulsos já podem ser flexionados e a placenta começa a controlar a nutrição da gravidez, criado um canal de comunicação interno entre a mãe e o bebê.

6 semanas

Na 6ª semana, o embrião já tem o tamanho de uma maçã, medindo cerca de 2,5 mm. Por enquanto o bebê ainda parece mais um girino do que com um ser humano. Recebe nutrientes e oxigênio através do cordão umbilical, que está ligado a recém-formada placenta.

7 semanas

Na 7ª semana, seu bebê é um pouco menor do que um grão de feijão, com 4 a 8mm de comprimento.

8 semanas

Já na 8ª semana tem o tamanho de uma pequena cereja, pesando cerca de 0,25 g e medindo entre 7 a 17 mm.

9 semanas

Na 9ª semana o embrião perde a pequena cauda que tinha e fica cada vez mais parecido com uma pessoa. Já tem braços, pernas, dedinhos, boca, nariz, olhos e o princípio das orelhas. O bebê tem agora o tamanho de uma uva e pesa poucas gramas.

O embrião agora é um feto. Após 9 semanas praticamente todos os órgãos vitais estão formados e funcionando. O cérebro cresce incessantemente, centenas de neurônios são formados a cada minuto. Os genitais já são reconhecíveis, o rosto tem um perfil completo e o coração começa a bater cada vez mais forte.

10 semanas

Com 10 semanas, o bebê tem o tamanho de um morango, o rosto está formado e começam a surgir o que serão os seus primeiros dentes. Os órgãos começam a crescer rapidamente, unhas e impressões digitais estão em formação e o bebê começa a abrir e fechar as mãos, contrair os pés e se movimentar bastante dentro do útero.

O cordão umbilical continua tendo muito trabalho, fornecendo oxigênio, nutrientes e a possibilidade de eliminação de resíduos. O bebê é capaz de colocar um dos dedos na boca e começam a desenvolver as sobrancelhas e um cabelo fino. O bebê é tão pequeno que cabe na palma da mão. Já pode perceber alguns estímulos externos e começa a se movimentar.

12 a 14 semanas

Na 12ª semana os rins produzem urina, o bebê faz xixi no líquido amniótico e engole o líquido de novo. Na 14ª semana os olhos e orelhas estão nos seus devidos lugares, e ele faz até caretas. Está começando o segundo trimestre da gravidez e para muitas mulheres este é o melhor período da gestação, pois elas se sentem melhores e menos indispostas.

Á medida que o corpo cresce, o sistema nervoso amadurece rapidamente. Os nervos saem do cérebro, chegam à coluna e estendem aos membros. O esqueleto do bebê também está em transformação. A cartilagem começa a endurecer e virar osso.

Esse processo de enrijecimento dos ossos ocorre primeiro nos braços e pernas. O cérebro começa a designar as áreas que serão dedicadas a cada função, como olfato, paladar e visão.

Agora o bebê está bem definido, pode fazer gestos e morder dedos (alguns bebês nessa fase até chupam os dedos). Ele se move intensamente e também já pode ouvir: a voz da mãe, a música e o batimento do próprio coração. O pulmão ainda segue em desenvolvimento e se prepara para a vida fora do útero.

As mamães começam a entrar em uma das fases mais emocionantes da gravidez, quando começam a sentir os movimentos do bebê.

4 semanas

Na 4ª semana o bebê é menor que um grão de arroz, mede aproximadamente 2 mm e já é um embrião com três fragmentos diferentes. São eles que irão formar tecidos e órgãos.

6 semanas

Na 6ª semana, o embrião já tem o tamanho de uma maçã, medindo cerca de 2,5 mm. Por enquanto o bebê ainda parece mais um girino do que com um ser humano. Recebe nutrientes e oxigênio através do cordão umbilical, que está ligado a recém-formada placenta.

8 semanas

Já na 8ª semana tem o tamanho de uma pequena cereja, pesando cerca de 0,25 g e medindo entre 7 a 17 mm.

10 semanas

Com 10 semanas, o bebê tem o tamanho de um morango, o rosto está formado e começam a surgir o que serão os seus primeiros dentes. Os órgãos começam a crescer rapidamente, unhas e impressões digitais estão em formação e o bebê começa a abrir e fechar as mãos, contrair os pés e se movimentar bastante dentro do útero.

O cordão umbilical continua tendo muito trabalho, fornecendo oxigênio, nutrientes e a possibilidade de eliminação de resíduos. O bebê é capaz de colocar um dos dedos na boca e começam a desenvolver as sobrancelhas e um cabelo fino. O bebê é tão pequeno que cabe na palma da mão. Já pode perceber alguns estímulos externos e começa a se movimentar.

5 semanas

Na 5ª semana, o bebê tem o tamanho de uma pequenina semente, as células do interior do blastocisto ainda estão começando a se organizar e o corpo do bebê começa a se desenvolver. A pele ainda é transparente, sendo possível ver a formação daqueles que serão os primeiros órgãos. Nesse momento, o bebê tem cerca de 1,27 a 2,54 mm.

O primeiro órgão a surgir é o tubo neural, que depois formará a medula espinhal e o cérebro do bebê. Uma outra parte, mais ao centro, se transformará em coração. É também neste período que começa o desenvolvimento dos aparelhos digestivo e respiratório. Há um importante crescimento do cérebro, depois surgem tecidos que se transformarão em braços e pernas. A cabeça já está formada e é possível distinguir o que serão orelhas, fossas nasais, olhos, ouvidos e o orifício que será a boca.

Agora já é possível observar bem o cérebro e a medula espinhal. Nessa fase o sistema circulatório do bebê começa a formar e o coração bate pela primeira vez, dedos começam a surgir, braços e pulsos já podem ser flexionados e a placenta começa a controlar a nutrição da gravidez, criado um canal de comunicação interno entre a mãe e o bebê.

7 semanas

Na 7ª semana, seu bebê é um pouco menor do que um grão de feijão, com 4 a 8mm de comprimento.

9 semanas

Na 9ª semana o embrião perde a pequena cauda que tinha e fica cada vez mais parecido com uma pessoa. Já tem braços, pernas, dedinhos, boca, nariz, olhos e o princípio das orelhas. O bebê tem agora o tamanho de uma uva e pesa poucas gramas.

O embrião agora é um feto. Após 9 semanas praticamente todos os órgãos vitais estão formados e funcionando. O cérebro cresce incessantemente, centenas de neurônios são formados a cada minuto. Os genitais já são reconhecíveis, o rosto tem um perfil completo e o coração começa a bater cada vez mais forte.

12 a 14 semanas

Na 12ª semana os rins produzem urina, o bebê faz xixi no líquido amniótico e engole o líquido de novo. Na 14ª semana os olhos e orelhas estão nos seus devidos lugares, e ele faz até caretas. Está começando o segundo trimestre da gravidez e para muitas mulheres este é o melhor período da gestação, pois elas se sentem melhores e menos indispostas.

Á medida que o corpo cresce, o sistema nervoso amadurece rapidamente. Os nervos saem do cérebro, chegam à coluna e estendem aos membros. O esqueleto do bebê também está em transformação. A cartilagem começa a endurecer e virar osso.

Esse processo de enrijecimento dos ossos ocorre primeiro nos braços e pernas. O cérebro começa a designar as áreas que serão dedicadas a cada função, como olfato, paladar e visão.

Agora o bebê está bem definido, pode fazer gestos e morder dedos (alguns bebês nessa fase até chupam os dedos). Ele se move intensamente e também já pode ouvir: a voz da mãe, a música e o batimento do próprio coração. O pulmão ainda segue em desenvolvimento e se prepara para a vida fora do útero.

As mamães começam a entrar em uma das fases mais emocionantes da gravidez, quando começam a sentir os movimentos do bebê.

Nessa altura o bebê já tem uma rotina de exercícios, seus olhos têm cor e ele passa a maior parte do tempo acordado e atento ao exterior. Ele começa a assumir a posição fetal e se prepara para o momento do nascimento. Algumas vezes abrirá os olhos, pois pode distinguir algumas imagens. O bebê está encaixado e sua cabeça preenche a parte superior do colo do útero. Já não é possível se mover tanto pela falta de espaço.

Entre as semanas 21 a 27, o tato do bebê se desenvolve, assim como suas impressões digitais. Neste período, quando a mãe passa a mão ou aperta a barriga, sente o bebê se mexer. O bebê gosta de tocar e sentir o próprio rosto e de agora em diante ele começa a experimentar suas habilidades.

Segundo o Dr. Romulo, o fato da mãe sentir o bebê se mexer na barriga é muito variável: pode ocorrer por volta de 16 semanas em mulheres com múltiplos filhos e após 20 semanas em mulheres em sua primeira gestação.

24 semanas

Na 24ª semana, o bebê mede entre 30 e 33 cm da cabeça aos pés e pesa aproximadamente 650g. Os órgãos reprodutores do bebê estão em formação. Nas meninas, as trompas e o útero, nos meninos os órgãos genitais externos já podem ser vistos durante a ultrassonografia. Os músculos faciais estão ativos e o bebê já é capaz de piscar os olhos e chupar o dedo.

26 semanas

Com 26 semanas ele já engole e começa a ter soluços, que são normais e fazem parte do seu desenvolvimento. Os pulmões também estão formando milhões de ramificações, chamadas bronquíolos e o bebê começa a treinar a respiração.

27 semanas

Na 27ª semana as pálpebras abrem por reflexo, mas ele ainda não enxerga. Os lábios estão formados e ele tem pequenas papilas gustativas na língua. Nesse período, o bebê pesa cerca de 900g e tem uma altura de mais ou menos 37 cm. Agora só falta um trimestre para seu nascimento.

O último trimestre começa com o bebê pesando pouco mais de 900g, mas seu peso triplicará até o nascimento. O esqueleto continua endurecendo, com exceção dos ossos do crânio, que ainda não se fundiram – na hora do parto eles vão se aproximar para a cabeça passar com mais facilidade.

28 semanas

Com 28 semanas o bebê mede um pouco mais de 37 cm e pesa em torno de 1kg. Começa agora a acumular alguma gordura e seus pulmões encontram-se na fase final de desenvolvimento. A parte do cérebro responsável pelo raciocínio está bastante desenvolvida. Ele já reage à dor como um bebê recém-nascido. Sua audição está quase perfeita e seus olhos abrem.

32 semanas

O bebê agora mede cerca de 40 cm e pesa cerca de 1,7 kg. Já está completamente formado, sua cabeça está mais proporcional ao corpo e ele já consegue distinguir luz e escuridão.

36 semanas

O bebê aumenta consideravelmente de peso, cerca de 800g por semana e nesta fase está com aproximadamente 2,5 kg e com 45 a 47 cm de comprimento. Ele já começará a dar pontapés e socos, sua pele está rosa e o cabelo pode ter até 5 cm. Está quase pronto para nascer.

40 semanas

Só faltam alguns dias para seu bebê chegar. Ele está medindo cerca de 50 cm e pesando pouco mais de 3,5 kg. Dentro do cérebro, bilhões de neurônios estão criando funções cerebrais que serão fundamentais para o aprendizado dentro e fora da barriga de sua mãe.

O bebê já consegue visualizar a luz que passa pelo útero e também já ouve bem, sendo capaz de perceber conversas e músicas.

24 semanas

Na 24ª semana, o bebê mede entre 30 e 33 cm da cabeça aos pés e pesa aproximadamente 650g. Os órgãos reprodutores do bebê estão em formação. Nas meninas, as trompas e o útero, nos meninos os órgãos genitais externos já podem ser vistos durante a ultrassonografia. Os músculos faciais estão ativos e o bebê já é capaz de piscar os olhos e chupar o dedo.

27 semanas

Na 27ª semana as pálpebras abrem por reflexo, mas ele ainda não enxerga. Os lábios estão formados e ele tem pequenas papilas gustativas na língua. Nesse período, o bebê pesa cerca de 900g e tem uma altura de mais ou menos 37 cm. Agora só falta um trimestre para seu nascimento.

O último trimestre começa com o bebê pesando pouco mais de 900g, mas seu peso triplicará até o nascimento. O esqueleto continua endurecendo, com exceção dos ossos do crânio, que ainda não se fundiram – na hora do parto eles vão se aproximar para a cabeça passar com mais facilidade.

32 semanas

O bebê agora mede cerca de 40 cm e pesa cerca de 1,7 kg. Já está completamente formado, sua cabeça está mais proporcional ao corpo e ele já consegue distinguir luz e escuridão.

37 semanas

Na 37ª semana a pele já não está tão enrugada e o bebê tem a aparência de um recém-nascido. Ele ganha 30 gramas por dia e pode pesar cerca de 2,5 kg. Em preparo para o parto, o bebê vai mudando de posição e fica de cabeça para baixo, aguardando o momento que virá ao mundo.

26 semanas

Com 26 semanas ele já engole e começa a ter soluços, que são normais e fazem parte do seu desenvolvimento. Os pulmões também estão formando milhões de ramificações, chamadas bronquíolos e o bebê começa a treinar a respiração.

28 semanas

Com 28 semanas o bebê mede um pouco mais de 37 cm e pesa em torno de 1kg. Começa agora a acumular alguma gordura e seus pulmões encontram-se na fase final de desenvolvimento. A parte do cérebro responsável pelo raciocínio está bastante desenvolvida. Ele já reage à dor como um bebê recém-nascido. Sua audição está quase perfeita e seus olhos abrem.

36 semanas

O bebê aumenta consideravelmente de peso, cerca de 800g por semana e nesta fase está com aproximadamente 2,5 kg e com 45 a 47 cm de comprimento. Ele já começará a dar pontapés e socos, sua pele está rosa e o cabelo pode ter até 5 cm. Está quase pronto para nascer.

40 semanas

Só faltam alguns dias para seu bebê chegar. Ele está medindo cerca de 50 cm e pesando pouco mais de 3,5 kg. Dentro do cérebro, bilhões de neurônios estão criando funções cerebrais que serão fundamentais para o aprendizado dentro e fora da barriga de sua mãe.

O bebê já consegue visualizar a luz que passa pelo útero e também já ouve bem, sendo capaz de perceber conversas e músicas.

O nascimento não é considerado atrasado até atingir a 42ª semana

Com a aproximação do parto, a pele do bebê se prepara para o nascimento – perdendo pedacinhos da substância que protege seu corpo. O bebê engole alguns desses pedaços junto com outras substâncias do útero – tudo isso se transformará em suas primeiras fezes.

O trabalho de parto inicia com as contrações uterinas rítmicas e dolorosas, ou seja, cólicas que obedecem a um ritmo, acompanhadas de endurecimento da barriga e se tornam cada vez mais frequentes e dolorosas.

A partir de 26 a 28 semanas, e em alguns casos até mais cedo, as grávidas experimentam as contrações de treinamento, conhecidas no meio médico como Braxton-Hicks. Nelas há endurecimentos intermitentes do útero, mas não acompanhados de dor, ou com dor muito leve, e não rítmicos. Elas servem para renovar o sangue que está na parede do útero e estimular o amadurecimento do bebê.

As contrações que começaram lá pela 26ª ou 28ª semana, intensificam-se e chegam em intervalos cada vez menores, quando surgirem a cada 5 minutos, é hora de seguir para a maternidade, com ou sem o rompimento da bolsa.

Em relação ao tempo de trabalho de parto, em média, uma mulher que ganha o bebê pela primeira vez tem evolução da dilatação de 0,8 cm/hora. Como a dilatação completa é de 10 cm o parto deve ocorrer em 12 horas.

Já aquela que apresentou parto vaginal anterior tende a ter evolução mais rápida, de 1,2 cm/h, de modo que seu parto ocorrerá em aproximadamente 8 horas. A cesariana, caso não ocorra complicações, dura em torno de 1 hora e meia, mas depende muito da velocidade do cirurgião e características específicas da gestante.

A alta pós-parto em geral ocorre após a coleta do exame do pezinho do bebê, ou seja, 48 horas passadas do nascimento. Isso se as condições clínicas permitirem e independentemente da via de parto. Alguns preconizam também a alta supervisionada, que ocorreria em 36 horas com garantia de retorno para coleta do exame do pezinho do bebê.